Obras

Obras > O Poeta da Madrugada

“O Poeta da Madrugada encanta desde logo por esse tom de poesia popular, temperado por outros versos de um labor muito apurado. O próprio poeta revela esta dupla herança, popular e erudita. Por um lado lembra de aboios, toadas / cantadas pelos vaqueiros / e das histórias narradas / da saga dos cangaceiros. Por outro entrega os poetas de que é herdeiro: E fugi com meus poetas / Bandeira, Quintana, Pessoa, Ascenso, Drummond, Cabral (…).

Acredito que mesmo quem nunca ouviu Alceu cantar, quem não o conheça enquanto cantor, rapidamente se aperceberá de que estes são versos nascidos para a música. Ou melhor: são versos que já trazem consigo a música, uma melodia interna, que permanece em nós, que continua reverberando em nós, mesmo depois que nos afastamos deles.”

Prefácio por José Eduardo Agualusa