Obras

Obras > Andar, Andar
1990

Meu primeiro disco na EMI, que eu considero praticamente um álbum de blues. Algumas pessoas se surpreendem mas eu já fazia rock com baião há muito tempo. Vejo inclusive semelhanças entre o blues do Mississipi e a música de Luiz Gonzaga, ambos egressos dos cantos negros das lavouras, das plantações de algodão. É um disco preocupado com as perspectivas do país. “Ateu corrompido” é dedicada a Dom Helder Câmara, pelas comemorações de seus 80 anos.

Ficha Técnica

Direção Artística: Jorge Davidson
Direçaõ Técnica: Sérgio Bittencourt
Produzido por: Paulo Rafael
Coordenação de Produção: Paola Vieira
Técnico de Gravação: Renato Luiz
Técnico de Mixagem e Masterização: Paulo Junqueiro
Estúdio de Gravação: Emi-Odeon, Rio de Janeiro
Assistentes de Estúdio: Márcio, Jorge Brum e Eduardo Maia
Estúdio de Mixagem: Nas Nuvens
Assistentes de Estúdio: Mauro, Joca, Milton e Antoine
Corte: Polygram, Rio de Janeiro

CAPA:
Design Gráfico: Ricardo Leite
Foto: Maurício Valladares
Arte-Final: Eduardo Borges
Agente Artístico: Olinda Produções Artísticas
Voz: Alceu Valença
Guitarras: Paulo Rafael
Teclados: Tovinho e Márcio Miranda
Bateria: Jurim Moreira
Baixo: Luigi Lagioia, Paulo Rafael e Sant’anna
Saxofone: Beto Saroldi
Percussão: Marcos Suzano
Coro: Golden Boys, Trio Esperança, Kátia Bronstein, Conceição Rios e Adriana Vieira