Obras

Obras > Na Embolada do Tempo
2004

8. Noite Vazia

Madrugou, raiou o dia
E ele ainda não voltou
Faz um ano, um mês, um dia
E ele ainda não voltou

Helena
Acorda linda e preguiçosa
O sol batendo na vidraça
Na sala, no quarto,
Na roupa branca no varal

Helena não lembra nada
Da noite anterior
Entre o silêncio do quarto
E o ronco do elevador
Entre o espelho e a pia
Helena chorou de dor

Helena pensou bobagens
Sentindo as horas passar
Se arrastando na noite
Colada em seu calcanhar
A noite negra vazia
Querendo lhe sufocar