Obras

Obras > Quadrafônico
1972

7. Seis Horas

Toda manhã se acorda
Às seis horas
Às seis horas o sol batendo
Nos sobrados de Olinda
No alto do Empire States
Nas esquinas do Village
Nas águas de Três Marias
Nessa pia que não lava
O segredo de Pilatos

Mágico, prático
Magiprático
Prático, mágico
Pratimágico
Pragmático

E seu horário londrino
Às seis horas
Seu colarinho engomado
Às seis horas
Seu chá das cinco em ponto
Às seis horas
Na algibeira marcado
Às seis horas
Só lhe comove o futuro
Às seis horas
Se tudo for engrenado
Às seis horas
No seu sorriso portátil

Corresponde a mil horas
Às seis horas
Em qualquer fuso horário

Às seis horas matina no Rio de Janeiro
Às seis horas matina em São Bento do Una
Às seis horas matina em Amsterdã
Às seis horas matina em Petrolina

Às seis horas