Obras

Obras > Andar, Andar
1990

7. Loa de Lisboa

Dançando na chuva
E cantando essa loa
Na Cidade Alta
Da velha Lisboa
Lembrei o poeta
Fernando Pessoa
E a chuva chovia
Mas eu estava à toa
E a chuva chovia
Mas eu estava à toa
Que a chuva chovesse
Ou virasse garoa
Dançando na chuva
E cantando essa loa:

Chove chove chuva fria
Chove na Cidade Alta
Chove sobre a mouraria
Chove na Cidade Baixa

Ao pé de uma praça
Chamada alegria
Havia uma rua
Que responderia
O porquê dessa chuva
Sem filosofia,
A grande verdade
É que a chuva chovia
A grande cerdade
É que a chuva nascia
Na rua Mãe d’Água